Aulas de Ginástica Laboral - Benefícios da Atividade Física, Alongamentos e Exercício Físico nas Empresas | GPA - Soluções em Educação e Saúde corporativa

  Ergonomia do Trabalho         

Confira o que preparamos para você e sua Empresa

 

 

Ginástica Laboral

 

O QUE É?

       É uma prática trazida dos países de primeiro mundo que a anos perceberam que os exercícios físicos tem papel fundamental no aumento da circulação sanguínea e com isso propiciam uma maior oxigenação no cérebro. Isso permite que o indivíduo obtenha uma maior capacidade de concentração e absorção de conteúdos. Outro aspecto importante ainda sobre o tema é a liberação de hormônios que promovem o bem estar físico, a motivação e o equilíbrio do humor, itens indispensáveis para a manutenção ou mesmo o aumento do desempenho profissional. A circulação sanguínea promovida pela prática da Ginástica Laboral, além dos benefícios acima aumenta a viscosidade dos músculos e tendões envolvidos em ações repetitivas o que reduz o atrito nestas estruturas prevenindo lesões e com isso reduzindo afastamentos médicos.

 

COMO FUNCIONA?

       A Ginástica Laboral consiste em pausas orientadas de no máximo 15 minutos as quais podem ocorrer antes, durante ou após a jornada de trabalho. O profissional GPA, vai até a empresa e acompanha a realização das atividades, sempre focadas nos objetivos e necessidades do cliente. O trabalho é realizado no próprio ambiente de trabalho sem a necessidade de deslocamento. O colaborador participa da aula com a própria roupa de trabalho uma vez que os exercícios propostos são adaptados a realidade de cada grupo. Além dos exercícios propostos, nossos profissionais são preparados para orientar a adoção de posturas frente aos postos de trabalho de forma que o desempenho profissional das pessoas seja incrementado a partir do bem estar físico.

 

 

OBJETIVO

       A ginástica laboral GPA tem como principal finalidade estabelecer, no ambiente corporativo, o equilíbrio entre saúde, qualidade de vida e produtividade. Para tanto nossos programas são customizados e adequados à realidade de cada organização. Para customização de um programa de Ginástica Laboral é necessário considerar os seguintes aspectos:

 

  • Número de colaboradores envolvidos;
  • Disponibilidade dos setores
  • Horário de trabalho;
  • Horas mensais de trabalho;
  • Localização da empresa;
  • Faixa etária dos colaboradores;
  • Movimentos realizados no desempenho das funções;
  • Expectativa da empresa;
  • Orçamento disponível.
  • Indicativos de desempenho 

 

 

       O processo de contratação dos serviços GPA obedecem o seguinte cronograma:

 

Primeiro Contato: Levantamento das expectativas da empresa bem como todas as informações necessárias para a elaboração de um orçamento.

Avaliação diagnóstica: Ocorre após a contratação de nossa empresa e é fundamental para a personalização do programa.

Prescrição: Planejamento das atividades com base nos resultados da avaliação. Nesta fase, nossos profissionais utilizam as informações colhidas nas entrevistas e medições e, com base na literatura especializada e na metodologia científica, desenvolvem o programa.

Acompanhamento: Iniciação das atividades, ou seja, nossos profissionais acompanham o programa de exercícios que foi prescrito na etapa anterior.

Indicadores: Etapa que evidencia o fluxo de continuidade do programa. Mensalmente, os resultados são medidos por um sistema informatizado que sinaliza a efetividade do projeto. Os relatórios são enviados ao departamento responsável pelo acompanhamento do programa.

 

 

       O Programa de ginástica laboral GPA é composto de três subprogramas, o que mostra a preocupação de transcender as aulas realizadas na empresa e alcançar o bem estar do colaborador, melhorando assim sua qualidade de vida, que certamente refletirá em sua capacidade produtiva.

 

1- Ginástica: É a pratica de exercícios físicos no ambiente corporativo. De posse das informações necessárias, as atividades vão ao encontro das funções realizadas pelos colaboradores, podendo ser preparatórias, compensatórias e de relaxamento.

2- Programa ergonômico postural: Tem por finalidade contribuir na adequação do posto de trabalho ao homem. É baseado na educação corporal, ou seja, nossos profissionais orientam os colaboradores na realização de suas funções de forma mais saudável, reduzindo assim o índice de desconforto decorrente de posturas inadequadas.

3- Programa de conscientização: Através de conversas, palestras, informativos impressos e outros meios de comunicação, os colaboradores são sensibilizados a assumir hábitos saudáveis fora da empresa tais como alimentação saudável, exercícios físicos e uma boa qualidade de sono.

Os aspectos apresentados as seguir são medidos através de ferramentas cuidadosamente desenvolvidas por nosso núcleo de pesquisas, e apresentados periodicamente ao cliente a fim de nortear as ações estratégicas do programa:

 

A EMPRESA

  • Aumenta a produtividade;
  • Diminui o absenteísmo;
  • Diminui o número de acidentes;
  • Diminui o Turn Over;
  • Reduz as despesas médicas;
  • Se protege contra ações trabalhistas decorrente de lesões.

 

O FUNCIONÁRIO 

  • Alivia o stress;
  • Melhora a postura;
  • Desperta o interesse por hábitos saudáveis;
  • Estimula o interesse pela prática de atividade física;
  • Melhora o relacionamento entre as pessoas.

 

Carta do Diretor ao cliente:

Os dez anos de pesquisas e observações dos resultados obtidos em empresas atendidas por nossas equipes espalhadas por toda a região sul do Brasil, tem nos dado a grata satisfação de constatar diariamente expressivas melhoras em todas as pessoas envolvidas em nossos programas.  É evidente que, se as organizações são dirigidas e, sobretudo operacionalizadas por pessoas, torna-se imprescindível que estas estejam saudáveis e felizes. Proteger as pessoas e suas organizações dos males ocupacionais deve ser ponto fundamental para o alcance de resultados satisfatórios.

 O Lucro, tão almejado pelos gestores não pode ser obtido sobre prejuízos físicos e psicológicos dos colaboradores que refletem os resultados estratégicos nas ações operacionais.

         A GPA está ao lado das pessoas, sejam elas empresários ou trabalhadores, nosso método é baseado em resultado financeiro para a empresa, o que está incondicionalmente atrelado a saúde, a qualidade de vida e o desempenho profissional das pessoas que a compõem.

Alessandro Gonçalves

 

 

Ergonomia do Trabalho

 

A palavra "Ergonomia" vem de duas palavras Gregas: "ergon" que significa trabalho, e "nomos" que significa leis. Hoje em dia, a palavra é usada para descrever a ciência de "conceber uma tarefa que se adapte ao trabalhador, e não forçar o trabalhador a adaptar-se à tarefa". Também é chamada de Engenharia dos Fatores Humanos, e ultimamente, também se tem preocupado com a Interface Homem-Computador. As preocupações com a ergonomia estão a tornar-se um fator essencial à medida que o uso de computadores tem vindo a evoluir.

 

       A Ergonomia pode ser aplicada em vários setores econômicos (Ergonomia Industrial, hospitalar, escolar, transportes, sistemas informatizados, etc.). Em todos eles é possível existirem intervenções ergonômicas para melhorar significativamente a eficiência, produtividade, segurança e saúde nos postos de trabalho. A Ergonomia atua em todas as frentes de qualquer situação de trabalho ou lazer, desde os stresses físicos nas articulações, músculos, nervos, tendões, ossos, etc., até aos fatores ambientais que possam afetar a audição, visão, conforto e principalmente a saúde.

 

       Nossa equipe de profissionais está pronta para avaliar sua empresa, emitir laudos ergonômicos e construir em conjunto com os gestores um plano de ação compativel com a realidade e disponibilidade da empresa.

 

       Agende já uma visita será um prazer atender as suas necessidades.

 

 

 

 

Mais sobre Ergonomia

 

No projeto do trabalho e nas situações cotidianas, a ergonomia focaliza o homem. As condições de
insegurança, insalubridade, desconforto e eficiência são eliminadas quando adequadas às capacidades e
limitações físicas e psicológicas.
A ergonomia estuda vários aspectos: postura e os movimentos corporais (sentado, em pé,
empurrando, puxando e levantando pesos), fatores ambientais (ruídos, vibrações, iluminação, clima,
agentes químicos), informações (informações captadas pela visão, audição e outros sentidos), controles, relações entre mostradores e controles, bem como cargos e tarefas (tarefas adequadas, cargos interessantes).
 
A conjugação adequada desses fatores permite projetar ambientes seguros, saudáveis,
confortáveis e eficientes, tanto no trabalho quanto na vida cotidiana.
A ergonomia baseia-se em conhecimentos de outras áreas científicas, como a antropometria,
biomecânica, fisiologia, pscicologia, toxiologia, engenharia mecânica, desenho industrial, eletrônica,
informática e gerência industrial. Ela amealhou, selecionou e integrou os conhecimentos relevantes dessas áreas. Desenvolveu métodos e técnicas específicas para aplicar esses conhecimentos na melhoria do trabalho e das condições de vida.
 
 
A ergonomia difere de outras áreas de conhecimento pelo seu caráter interdisciplinar e pala sua
natureza aplicada. O caráter interdisciplinar significa que a ergonomia se apóia em diversas áreas do
conhecimento humano. O caráter aplicado configura-se na adaptação do posto de trabalho e do ambiente às características e necessidades do trabalho.
 
 
O Ministério do trabalho e Previdência Social instituiu a portaria nº 3.751 em 23/11/90 que baixou
a Norma Regulamentadora – NR-17, que trata especificamente da ergonomia. “Esta norma visa
estabelecer parâmetros que permitam a adaptação das condições de trabalho às características fisiológicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar um máximo conforto, segurança e desempenho eficiente.”
 
 
Com esta norma começa a despertar o interesse pela ergonomia no meio empresarial brasileiro.
O centro das atenções no ser humano, isto é, a antropocentricidade da ergonomia, favorece não só
as mudanças organizacionais, como também alavanca mudanças no conceito de produtividade, este sendo visto a partir da qualidade de vida no trabalho, observando, dentre outros parâmetros: a participação do trabalhador, a liberdade para a criação e a valorização do saber fazer, isto é, do conhecimento tácito.
 
 
Neste sentido, então, pode-se classificar a ergonomia de três maneiras:
-Quanto à abrangência:
 
Ergonomia de Posto de Trabalho: Abordagem micro ergonômica;
Ergonomia e sistema de produção: abordagem macro ergonômica.
 
- Quanto à contribuição:
Ergonomia de Concepção: é a aplicação de normas e especificações ergonômicas em projetos de
ferramentas e postos de trabalho, antes de sua implantação;
 
Ergonomia de Correção: é a modificações de situações de trabalho já existentes. Portanto, o estudo
ergonômico só é feito após a implantação do posto de trabalho;
 
Ergonomia de Arranjo Físico: è a melhoria de seqüências e fluxos de produção, através da
mudança de leiaute das plantas industriais (por exemplo: mudança de um leiaute por processo para um
leiaute por produto);
 
-Quanto à interdisciplinaridade:
Engenharia: é o projeto e a produção ergonomicamente corretos, garantindo a segurança, a saúde e
a eficácia do ser humano no trabalho;
 
Design: é a aplicação das normas e especificações ergonômicas no projeto e design de produtos;
 
Psicologia: recrutamento, treinamento e motivação pessoal.